Média de internações por gripe em São Paulo é muito baixa, diz secretário

Luiz Carlos Zamarco, secretário-adjunto de Saúde Municipal de São Paulo, diz que cidade atendeu 180 mil pessoas e teve 118 internações na UTI por síndrome gripal nos últimos 10 dias

Ingrid OliveiraLudmila CandalBianca Camargoda CNN

São Paulo

Ouvir notícia

Ao mesmo tempo que as cidades enfrentam a pandemia da Covid-19, um aumento nos casos de Influenza, causada pelo vírus H3N2, deixa em alerta diversas cidades brasileiras.

Em entrevista à CNN, o secretário-adjunto da Saúde da cidade de São Paulo, Luiz Carlos Zamarco, explica que apesar de os sintomas serem parecidos, há uma forma de diferenciar ambas as doenças e classificar os pacientes.

“Nós estamos fazendo o teste para Covid para identificarmos os pacientes, inclusive nas unidades de emergência, nós disponibilizamos o teste de antígeno rápido para separar os pacientes com síndrome gripal e coronavírus.”

O secretário explica que os pacientes com Influenza vão para um hospital específico na Vila Brasilândia, onde é feito um painel viral.

“Com pacientes que estão internados, estamos fazendo o painel viral para identificar é o vírus da Influenza (H3N2) ou outros vírus que causam a síndrome gripal.”

O aumento de casos de Influenza na cidade está sendo monitorado pela Secretária de Saúde de São Paulo.

De acordo com Zamarco, a equipe priorizou “que as unidades de saúde ficassem atendendo com o agendamento aberto para tirar a pressão das unidades de urgência e emergência.”

Ele também fala que, no último final de semana houve uma diminuição nos casos de síndrome gripal. Apesar disso, ele atribui ao fato de as pessoas terem viajado no feriado.

“Fica uma semana difícil para a gente avaliar se a diminuição é por conta da melhora da doença ou se porque as pessoas não estão aqui. Só saberemos disso na semana que vem”, disse.

Zamarco explica que a Secretária de Saúde Municipal está preparada para receber as pessoas que voltarem das férias de fim de ano.

“Temos o hospital com 488 leitos e as 469 UBS. Então, a gente já organizou tudo para um grande número de atendimentos.”

Ele alerta que a forma de diminuir os contágios é com a mesma orientação do início da pandemia.  “A orientação é a mesma. Estamos falando do uso de máscara, higiene de mãos, procurar não ficar em aglomeração, mas principalmente o uso de máscara.”

Mais Recentes da CNN