Waack: articulação sobre preço da gasolina e reformas deveria ser feita pelo Executivo

Câmara e Senado articulam sobre os temas; no entanto, para Waack, a atuação do presidente da República seria 'pedra fundamental'

Da CNN Brasil

em São Paulo

Ouvir notícia

No quadro CNN Poder desta quarta-feira (6), na CNN Rádio, William Waack fala os dois principais temas das últimas semanas que tem preocupado os brasileiros: o preço da gasolina e o imposto.

Para Waack, a articulação central sobre estes assuntos deveria ser feita pelo Executivo. “Falta uma pedra fundamental nisso: um coordenação, uma articulação central e isso teria de ser [feito pelo] presidente da República.”

O Legislativo, no entanto, não deve ficar fora dessas negociações, mas atuação do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) se revela fundamental, na opinião de Waack.

“Tanto a questão do preço da gasolina como a questão da tributação que tem de trabalhar sob coordenação política imediata do Executivo.”

“E foi o grande ausente ontem, dia no qual nossos dois primeiros ministros – temos o primeiro-ministro cujo nome é presidente da Câmara dos Deputados e temos o segundo primeiro-ministro cujo nome oficial é presidente do Senado”, completou Waack.

Para ele, apesar do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), e da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), estarem atuando na articulação para que estes temas caminhem nas casas, a relação entre os envolvidos é “altamente complexa”.

“É altamente complexa a relação entre todos os envolvidos: estados, municípios, o Executivo, o Legislativo, e o Judiciário. E por que isso demora tanto pra andar? A gente fala, fala, fala sobre reformas e tributos que vão mudar e nada acontece porque falta a pedra fundamental”, avaliou.

Mais Recentes da CNN