Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Solidariedade convida Renan, Randolfe, Alcolumbre e outros políticos para evento pró-Lula

    Em busca de frente ampla, partido foca em dissidentes de legendas que apoiam outros nomes para presidência

    Gleisi Hoffmann, presidente do PT, Paulinho da Força, presidente do Solidariedade, e o ex-presidente Lula
    Gleisi Hoffmann, presidente do PT, Paulinho da Força, presidente do Solidariedade, e o ex-presidente Lula Reprodução/Twitter @gleisi

    Basília Rodriguesda CNN

    Brasília

    Ouvir notícia

    O presidente do Solidariedade, Paulinho da Força, convidou políticos de outras legendas para subirem ao palanque junto com Lula, no evento em que o partido marcou nesta terça-feira (3) para formalizar o apoio ao ex-presidente da República.

    À CNN, confirmaram presença os senadores Renan Calheiros (MDB), Omar Aziz (PSD), Randolfe Rodrigues (Rede) e o vice-presidente da Câmara Marcelo Ramos (PSD). Além deles, também foram chamados o ex-presidente do Senado Davi Alcolumbre (União) e o ex-deputado federal Maurício Rands.

    “Se não ampliar a aliança, teremos dificuldade de ganhar a eleição. Temos que fechar alianças com dirigentes partidários nos estados”, afirmou Paulinho à CNN.

    Na prática, MDB e União Brasil se declaram partidos da terceira via e o PSD diz que terá candidato próprio. A intenção, ao reunir diversos políticos, é deixar a imagem de uma frente ampla de apoio a Lula, com dissidentes de outros partidos que regionalmente são muito atuantes.

    Há previsão de que 600 a 700 pessoas participem do evento, de acordo com o Solidariedade.

    No discurso, Paulinho disse que não haverá apoio à revogação da reforma trabalhista. No lugar de revogar, o político defende fazer “reparos” no texto, em uma eventual eleição. “Eu resolvo isso em dois meses no Congresso. Não há motivo para discutir se revoga ou não, o presidente Lula não precisa falar isso. Vou tratar de reparos”, afirmou à CNN.

    Debate

    CNN realizará o primeiro debate presidencial de 2022. O confronto entre os candidatos será transmitido ao vivo em 6 de agosto, pela TV e por nossas plataformas digitais.

    Mais Recentes da CNN