Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    PF indicia primo de Davi Alcolumbre por tráfico e organização criminosa

    Isaac Alcolumbre, ex-deputado amapaense, foi acusado de participar de grupo que usava o Amapá como base operacional para atividades de importação e transporte de drogas

    O ex-deputado estadual pelo Amapá Isaac Alcolumbre
    O ex-deputado estadual pelo Amapá Isaac Alcolumbre Divulgação/Assembleia Legislativa do Amapá

    Vianey BentesGiovanna Galvanida CNN*

    em Brasília e São Paulo

    Ouvir notícia

    A Polícia Federal indiciou Isaac Alcolumbre, ex-deputado estadual do Amapá, por tráfico de drogas e organização criminosa. A informação foi confirmada à CNN nesta terça-feira (22).

    O indiciamento ocorre no âmbito da Operação Vikare. Segundo a PF, o grupo utilizava o estado do Amapá como base operacional para suas atividades de importação e transporte de drogas, por meio de aviões a serem distribuídas para diferentes pontos do Brasil.

    Isaac, que é primo do senador Davi Alcolumbre (DEM), ex-presidente do Senado, chegou a ser preso em outubro de 2021, quando a operação foi deflagrada, mas foi liberado seis dias depois.

    CNN contatou a defesa de Isaac Alcolumbre para comentários e aguarda retorno.

    A investigação

    De acordo com a PF, a ação teve origem em maio de 2020, quando investigações no Amapá encontraram movimentações suspeitas de aeronaves e foram localizados destroços de um avião de pequeno porte no município de Calçoene.

    No estado, a Polícia Federal encontrou indícios de que um aeródromo fornecia apoio logístico, como combustível para a aeronave fazer voos aos demais estados brasileiros, bem como a outros países fornecedores da droga, como Colômbia e Venezuela.

    “Com o aprofundamento do trabalho da PF no Amapá, chegou-se a uma grande e articulada organização criminosa com participação de brasileiros e estrangeiros, voltada à prática de diversos crimes, notadamente o tráfico internacional de drogas, por meio de uma rota que passava por países da América do Sul, principalmente Colômbia e Venezuela e tinha o estado do Amapá como uma de suas bases logísticas fundamental”, disse a PF, em nota.

    Além dos mandados de prisão e busca e apreensão, a Justiça Federal no Amapá também determinou medidas de sequestro de bens, direitos e valores de 68 pessoas físicas e jurídicas.

    A medida incluiu 95 veículos, entre carros, caminhões e motos, 3 aeronaves, 19 embarcações, imóveis em nome de 41 pessoas físicas e jurídicas. Já os bloqueio de ativos financeiros de pessoas físicas e jurídicas que chegam ao montante de R$ 5,8 milhões.

    *Com informações de Murillo Ferrari, da CNN

    Mais Recentes da CNN