Baronovsky: Candidato do PSDB terá desafio de conquistar a unidade partidária

No Liberdade de Opinião desta segunda-feira (22), o comentarista analisou a falha no sistema de votação das prévias do partido para definir qual candidato tucano concorrerá em 2022

Da CNN

em São Paulo

Ouvir notícia

No quadro Liberdade de Opinião desta segunda-feira (22), o comentarista Ricardo Baronovsky avaliou a indefinição do candidato tucano que concorrerá à Presidência em 2022. Falha no aplicativo de votação inviabilizou a participação da grande maioria dos 44 mil partidários inscritos nas eleições internas do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB).

Baronovsky analisa: “Eu arrisco dizer que o candidato do PSDB vai ter dois escrutínios, dois desafios e duas eleições: Não só a de 2022, mas ele vai ter a primeira eleição dele interna e, assim que sair vitorioso, ele vai ter que conquistar a unidade partidária, e aí vêm nomes como Geraldo Alckmin, Aécio Neves, o candidato derrotado e ele terá que reestruturar a união partidária.”

Líderes do PSDB e técnicos se reunião na tarde de hoje para ajustar os próximos passos. As campanhas do governador de São Paulo, João Doria, e do ex-prefeito de Manaus, Arthur Virgílio, defendem que o pleito seja retomado no próximo domingo, dia 28, enquanto o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, argumenta que, caso seja possível, as prévias deveriam ser retomadas em um prazo de 48 horas.

“Episódio traumático para o PSDB. No debate da CNN, aquele clima amistoso de união e coesão partidária, a qual eu já tinha sinalizado semana passada de que aquilo era uma quimera, um ajuste entre os candidatos a fim de aparentar uma união e coesão partidária, agora se revela o maior racha do que nunca.”

O Liberdade de Opinião teve a participação de Fernando Molica e Ricardo Baronovsky. O quadro vai ao ar diariamente na CNN.

Ricardo Baronovsky no quadro Liberdade de Opinião (22.nov.2021) / CNN / Reprodução

As opiniões expressas nesta publicação não refletem, necessariamente, o posicionamento da CNN ou seus funcionários.

Mais Recentes da CNN