Prefeitura de São Paulo anuncia demissão de funcionários que recusaram vacina

Demissões de três servidores foram publicadas no Diário Oficial entre a sexta (29) e o sábado (30)

Raphael Coraccinida CNN

Em São Paulo

Ouvir notícia

Em uma ronda para identificar servidores que não se vacinaram contra a Covid-19, a Prefeitura de São Paulo identificou três pessoas em cargos comissionados que recusaram a imunização. Eles foram demitidos por decisão do prefeito Ricardo Nunes e o desligamento foi divulgado entre a sexta-feira (29) e o sábado (30) no Diário Oficial.

A decisão de demitir as pessoas está amparada por um decreto publicado este ano, que tornou obrigatória a vacinação contra a Covid-19 de servidores e funcionários públicos municipais. Nesta semana, passou a ser obrigatória a apresentação do passaporte da vacina ou certificado oficial que comprove a imunização para que qualquer servidor tivesse acesso ao Edifício Matarazzo, sede da Prefeitura.

O levantamento das informações sobre a vacinação de servidores foi realizado em um trabalho conjunto entre a Controladoria Geral do Município, a Secretaria Executiva de Gestão e a Secretaria Municipal de Saúde.

As coordenadorias de Administração e Finanças das unidades administrativas da Prefeitura de São Paulo também estão contribuindo com a força-tarefa, ao verificar os comprovantes de vacinação de servidores residentes fora do município de São Paulo, além de servidores que não tomaram as doses dentro do prazo estipulado pelo calendário nacional de vacinação.

Na sexta-feira, a capital paulista atingiu a marca de 20 milhões de doses aplicadas e o município já conta com mais de 100% de aplicações de primeiras doses em pessoas de 12 anos ou mais.

Mais Recentes da CNN