Oscar 2022: cerimônia honorária é adiada pelo avanço da Ômicron

Tradicional premiação de gala, que homenageia as trajetórias de atores que fizeram história no cinema, estava marcada para 15 de janeiro. Nova data ainda não foi definida

Estatuetas do Oscar em Walden, Nova York
Estatuetas do Oscar em Walden, Nova York BASEIMAGE

Debora Sandercolaboração para a CNN

São Paulo

Ouvir notícia

O avanço da variante Ômicron da Covid-19 nos Estados Unidos levou a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood a optar pelo adiamento do evento honorário de gala que celebra a trajetória de atores de destaque. A premiação, que ocorreria em 15 de janeiro, ainda não tem uma nova data definida para acontecer.

“Nós tomamos a difícil decisão de mudar nossos planos de celebrar a gala presencial dos prêmios do Conselho de Governadores em 15 de janeiro. Dadas as incertezas em torno das variantes [do coronavírus] e o impacto que poderiam ter na nossa comunidade, nós achamos que essa foi a melhor e mais segura decisão a se tomar para nossos convidados e homenageados. Planos de reagendamento virão numa data futura conforme continuamos a priorizar a saúde e o bem-estar de todos os envolvidos” declarou a Academia em nota.

A 12ª edição do evento vai homenagear os atores veteranos Samuel L. Jackson, Danny Glover, Liv Ullman e a atriz e diretora Elaine May. A cerimônia tradicionalmente antecede a grande noite de premiação do Oscar, que neste ano está marcada para 27 de março. Em 2020, o evento honorário foi cancelado em função da pandemia de Covid-19, mas a cerimônia de entrega do Oscar aconteceu presencialmente em abril.

Nesta semana, os Estados Unidos registraram a primeira morte causada pela variante do coronavírus. A Ômicron já se tornou a cepa dominante nos Estados Unidos e está relacionada a 73% dos casos registrados da doença na semana passada. A Califórnia é o estado com menos casos de Covid-19 no país e também lidera os índices de vacinação nos Estados Unidos. Mesmo assim, houve um aumento relevante no número de casos suspeitos nos últimos dias, o que levou ao adiamento

Mais Recentes da CNN