Bolsonaro assina Medida Provisória que amplia auxílio emergencial em R$ 4,1 bilhões

Benefício foi instituído em abril do ano passado para atender pessoas vulneráveis afetadas pela pandemia da Covid-19

39,2 milhões de famílias foram atendidas neste ano pelo auxílio emergencial
39,2 milhões de famílias foram atendidas neste ano pelo auxílio emergencial Marcelo Camargo/Agência Brasil

Douglas Portoda CNN*

em São Paulo

Ouvir notícia

O presidente Jair Bolsonaro (PL) assinou, nesta sexta-feira (24), a Medida Provisória que amplia em R$ 4,1 bilhões o crédito disponível para pagamento do auxílio emergencial.

“Fica aberto crédito extraordinário, em favor do Ministério da Cidadania, no valor de R$ 4.153.017.000,00 (quatro bilhões cento e cinquenta e três milhões e dezessete mil reais)”, diz o texto publicado no Diário Oficial da União (DOU).

O auxílio emergencial foi instituído em abril do ano passado pelo governo federal para atender pessoas vulneráveis afetadas pelos efeitos da pandemia da Covid-19.

O benefício foi pago em cinco parcelas de R$ 600 ou R$ 1,2 mil para mulheres chefes de família monoparental. Depois foi estendido até 31 de dezembro de 2020 em até quatro parcelas de R$ 300 ou R$ 600 cada.

Neste ano, foram pagas sete parcelas de R$ 150 a R$ 375, dependendo do perfil: as famílias, em geral, receberam R$ 250; a família monoparental, chefiada por uma mulher, recebeu R$ 375; e pessoas que moram sozinhas, R$ 150.

O programa atendeu, em 2021, 39,2 milhões de famílias, dos quais 23,9 milhões de trabalhadores informais, dez milhões inscritos no antigo Bolsa Família e 5,3 milhões inscritos no Cadastro Único de Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico).

(*Com informações da Agência Brasil)

 

 

Mais Recentes da CNN